LIVROS

PSICOLOGIA E SAÚDE

José Luis Pais Ribeiro

Índice:

Editor: José Luis Pais Ribeiro

ÍNDICE  

PRÓLOGO  

INTRODUÇÃO

1 . A Psicologia e saúde na unidade do corpo e espírito

2. O ser humano enquanto sistema

I- INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA E SAÚDE

1 - A Psicologia no campo da saúde

1.1  Perspectiva histórica                                      

1.2 O Interesse da Psicologia Pela saúde e doenças não mentais

1.3.  Psicologia Clínica, Psicologia da Saúde e Psicologia Clinica da Saúde

1.4. Psicologias clínicas e da saúde             

1.5- Aspectos novos da Psicologia que se Pratica no Sistema de Saúde

1.5.1. Definição de quem é o cliente  

1.5.2. Alteração na relação Psicólogo-doente 

1.5.3. Tempo de intervenção     

1.6. A Psicologia Clínica hoje     

2. A saúde e a doença ao longo dos tempos

2.1. Importância de uma perspectiva ecológica

2.2. Evolução dos sistemas de saúde

2.3. História da saúde

2.4. Evolução do conceito de saúde e doença

2.5. Período pré-cartesiano

2.6. Desenvolvimento do modelo biomédico

2.7. Primeira revolução da saúde

2.8. A segunda revolução da saúde

2.9. A terceira revolução da saúde

2.10. Conceitos principais da segunda revolução da saúde

2.11. Promoção da saúde

2.12. Definição de promoção da saúde

2.13. Promoção da saúde na Europa

2.14. Estilo de vida - Nascimento e morte do conceito

2.15. Hipóteses de cenários futuros para a saúde e doença

2.16. O sistema de saúde no futuro

2.17. Regresso a uma consciência ecológica da saúde

3. Psicologia da Saúde, saúde e doenças

3.1. Saúde

3.2. Doença

3.3. Estados de doença

3.4. Relação entre saúde e doença

3.5. Qualidade de vida

3.6. Bem-estar subjectivo

3.7. Saúde, qualidade de vida e bem estar

3.8. Qualidade de vida relacionada com a saúde

3.9. Ligações entre saúde e qualidade de vida

II. ASPECTOS BÁSICOS DA INTERVENÇÃO

1. Comportamento e Psicologia da Saúde

1.1. História da relação comportamento saúde a doenças

1.2. O comportamento humano na segunda revolução da saúde

1.3. Comportamento de prejuízo de saúde como hábito

1.4. Origem dos hábitos

1.5. Mudança de hábitos

1.6. Comportamento nas ciências comportamentais

1.7. Comportamentos/Atitudes

1.8. Importância de um estilo de vida saudável

1.9. Comportamento e mortalidade

1.10. Factores de risco para a saúde

1.11. Consumo de tabaco

1.12. Porque fumam as pessoas?

1.13. Tabagismo e doenças

1.14. Exercício físico

1.15. Alimentação

1.16. Programas de modificação do comportamento

1.17.  Comportamento e necessidades de saúde dos jovens              

1.18. Relações entre comportamentos de saúde

1.19. Efeitos perversos do aumento da responsabilidade pessoal         

1.20. Os limites da Medicina

1.21. Culpara vítima

1.22. Questões políticas geradas pela mudança de conceber o campo da saúde

1.23. Limites da responsabilidade individual

2. Modelos e teorias

2.1. Modelos na saúde e doenças

2.2. Modelo de crenças de saúde

2.3. Teoria da motivação protectora

2.4. Teoria da aprendizagem social

2.5. Teoria da acção racional de Fishbein's

2.6. Teoria da acção planeada

2.7. Teoria do comportamento social de Triandis'

2.8. Teoria da acção social

2.9. Modelo da utilidade de multi-atributos

2.10. Difusão da inovação

2.11. Modelo transteórico de mudança do comportamento

2.12. Modelo transteórico

2.13. Abordagem do processo de acção para a saúde

3. Áreas de intervenção em Psicologia da Saúde

3.1. Definição de Psicologia da Saúde

3.2. Divisão tradicional do sistema de saúde

3.3.  Saúde pública

3.4. Psicologia da Saúde e saúde pública

3.5. Medicina curativa

3.6. Funções do psicólogo clínico

3.7. Áreas de intervenção

3.8. Promoção da saúde

3.9. A promoção da saúde na saúde a na doença

3.10. Promoção da saúde, qualidade de vida e bem-estar

3.11. Protecção da saúde

3.12. Prevenção das doenças

3.13. Grandes projectos de prevenção de doenças

3.14. Intervenção nas doenças

3.15. Organização das doenças

3.16. As doenças crónicas

3.17. Mal-estar e sofrimento

3.18. Natureza do sofrimento

3.19. Os sentimentos acerca da doença

3.20. Doenças de mau prognóstico

3.21. O caso Ramon Sampedro

3.22. Doenças terminais

3.23. As pessoas querem saber se vão morrer?

3.24. Reacção psicológica à própria morte

3.25. Os doentes terminais e os profissionais de saúde

3.26. Cuidados paliativos e apoio a doentes terminais

3.27. Psicoterapia com doentes terminais

3.28. Filosofia do apoio a doentes terminais

III. PSICOLOGIA E DOENÇAS

1. Psicologia da Saúde e índices sanitários

1.1. Indicadores clássicos do estado da Saúde

1.2. Mortalidade em Portugal

1.3. Análise comparativa entre países

1.4. As epidemias em Portugal

1.5. Epidemiologia

1.6. Discussão sobre o conceito de Epidemiologia

1.7. Factores de protecção da saúde ou recursos de saúde

1.8. Factores de risco

1.9. História dos factores de risco

1.10. O mito do risco zero

1.11. Factores de risco e política

1.12. Limitações da aplicação à saúde da noção de factor de risco

1.13. Factores de risco, grupos de risco e situações de risco

1.14. Consequências populacionais das alterações epidemiológicas

1.15. Consequências populacionais das revoluções da saúde          

1.16. Uma palavra para o meio ambiente

2. Doenças vasculares cerebrais

2.1. Doença vascular cerebral

2.2. Acidente vascular cerebral

2.3. Acidente isquémico transitório

2.4. Consequências dos acidentes vasculares cerebrais

2.5. Factores de risco para as doenças vasculares celebrais

2.6. Consequências das doenças vasculares cerebrais

2.7. Intervenção nas doenças vasculares cerebrais

2.8. Prognóstico nas doenças vasculares cerebrais

2.9. Consequências sociais

2.10. Impacto da doença na família

3. Tumores malignos

3.1. Perspectiva histórica

3.2. O cancro como doença

3.3. Factores de risco para o cancro

3.4. Cura do cancro

3.5. Cancro em Portugal

3.6. Tipos de tumor

3.7. O que há de único no cancro?

3.8. Variáveis psicossociais associadas ao cancro

3.9. Consequências psicológicas do cancro

3.10. Apoio psicológico para doentes com cancro

3.11. Aspectos a considerar no apoio psicológico

3.12. Aspectos psicológicos na longevidade à doença

3.13. Impacto da doença na família

4. Doença cardíaca coronária

4.1. O sistema circulatório

4.2. Insuficiência cardíaca

4.3. Causas precipitantes da insuficiência cardíaca

4.4. Sintomas de falha do sistema cardíaco

4.5. A doença cardíaca coronária

4.6. Factores de risco

4.7. Tabagismo

4.8. Obesidade

4.9. Hipertensão

4.10. Padrão de comportamento Tipo A

4.11. Efeitos da alteração do estilo de vida nas DCC

4.12. Treino de competências de gestão da angina

4.13. Ajustamento psicossocial às doenças cardíacas

5. Acidentes

6. Doente em contextos médicos

6.1. Reacção psicológica ao contexto médico

6.2. Despersonalização

6.3. Cuidados-de-saúde-centrados-no-doente

6.4. Informação e comunicação

6.5. A origem da representação da doença

6.6. Comunicação médico-doente

6 7. Colaboração do doente no tratamento

6.8. O que está em jogo

6.9. Adesão ao tratamento

6.10. Teorias de adesão

6.11. Um modelo desenvolvimental

6.12.Deterrninantes psicossociais do empenhamento no tratamento

IV. TEMAS BÁSICOS

1 . Stress

1.1. Apreciação dos stressores

1.2. Níveis de apreciação dos stressores

1.3. Diferenças individuais na apreciação e reacção ao stress

1.4. Tipos de stressores

1.5. Stress e sistema imunológico

1.6. Acontecimentos de vida, preocupações e stress

1.7. Variáveis mediadoras

1.8. O contexto profissional como fonte de stress

1.9. Doenças provocados pelo stress

1.10. Intervenção psicológica no stress

1.11. O stress é hereditário?

2. Avaliação em Psicologia da Saúde

2.1. O psicólogo em contextos de saúde e doença

2.2. A prática da avaliação psicológica

2.3. Avaliação psicológica na década de 90

2.4.  que caracteriza a avaliação psicológica na equipa de Saúde    

2.5. A entrevista psicológica

2.6. Entrevista psicológica em contextos de saúde

2.7. Uma novidade fundamental: a avaliação da saúde

2.8. Técnicas psicométricas ou clinimétricas

2.9. Avaliação da saúde

2.10. Avaliação do estado da saúde versus dos resultados de Saúde

2.11. O Medical Outcomes Study

3. Dor

3.1. Definição de dor

3.2. Tipos de dor

3.3. Comportamento de dor

3.4. Dor orgânica versus psicogénica

3.5. Teorias sobre a dor

3.6. Variáveis psicológicas a considerar

3.7. A avaliação da dor

3.8. Técnicas de intervenção

LÉXICO

REFERÊNCIAS

1998/ 444 Pág.

ISBN: 972-8400-07-1