Psicólogo

CARREIRA DE PSICOLOGIA EM SAÚDE

Até meados da década de 90 não existia em Portugal uma carreira de psicólogos clínicos definida em lei. Se de facto existem há muitos anos psicólogos no sistema de saúde, estes pertenciam a uma carreira genérica de técnicos superiores, sem discriminação funcional e, por isso mesmo, com práticas e intervenções profissionais resultantes muito mais das conjunturas e circunstâncias que de uma formação de base com competências específicas. Ou seja, se de facto estes profissionais eram reconhecidos como Psicólogos Clínicos, por Lei eram somente Técnicos Superiores.
Ora o Decreto Lei 241/94 de 22 Setembro de 1994 veio modificar isto, definindo, pela primeira vez uma carreira de Psicologia Clínica enquanto ramo dos Técnicos Superiores de Saúde, onde constavam claramente as funções, a formação e a progressão na carreira.
Como esta Lei nasceu na década de 90 espelha uma visão da Psicologia que se exerce no Sistema de Saúde mais consentânea com o que é hoje exigido ao psicólogo no sistema de saúde e a uma formação em Psicologia da Saúde.
Consideramos isto uma vantagem relativamente a outros países que definiram há muito o papel do Psicólogo Clínico e que, devido às mudanças que vêm ocorrendo nas últimas décadas no sistema de saúde, entraram em colisão com a emergente psicologia da saúde. Tal verifica-se, por exemplo, com o choque constante entre as expressões "psicologia Clínica" e "Psicologia da Saúde". Frequentemente usa-se a expressão "Psicologia Clínica e da Saúde" que, quanto a nós, tende cada vez mais a constituir uma redundância, na medida em que, por um lado a fronteira entre o “mental” e o “físico” está cada vez mais esbatida e se reconhece que são componentes indissociáveis do mesmo bloco e, por outro, muitos dos psicólogos clínicos de formação mais tradicional abandonaram de vez os contextos que os definiam como tal (da doença mental) e o que se exige hoje ao Psicólogo Clínico em termos profissionais está muito mais perto do que foi definido na década de 70 (no relatório de 1976 da APA task force) do que da Psicologia Clínica onde se iniciaram.
Desde o início da década de 80 isto tem sido discutido e enquanto alguns autores propuseram a expressão "Psicologia Clínica da Saúde" outros desenvolveram estratégias para constituir uma profissão de Psicologia da Saúde independente da de Psicologia Clínica.